Água de beber


Todos conhecem a importância da água. É no mínimo memorável que ela representa 70% do nosso corpo e 2/3 da superfície da Terra... Além disso, a maioria das religiões (como o Hinduísmo, Cristianismo, Judaísmo, Islamismo, Xintoísmo e Wicca) considera a água como um agente purificador.

Então, falando em purificar através da água, que tal falar da purificação de água?



Purificador da minha casa.




Recentemente, minha família decidiu adotar um sistema de purificação de água na nossa casa. No começo era apenas para evitar a contínua compra de garrafões de água mineral, mas após conversar com aqueles que entendem realmente de água, mudei minha visão do assunto.

O que descobri :

*Nos rótulos de água mineral vem escrito que as garrafas devem ser armazenadas longe do sol, mas não é comum ver um caminhão de transporte de água mineral ser coberto. [E quem nos alerta para manter os filtros da cozinha longe do fogão e do sol?]

*Dificilmente nós vemos um garrafão transparente. [Isso evita que os compradores percebam lodo ou qualquer alteração no plástico, permitindo a reutilização do mesmo recipiente muitas e muitas vezes pela empresa]

*Na instalação do purificador, fizemos um teste para detectar o nível de cloro na água. A mineral (direto do garrafão) ficou amarelada, a da torneira depois de passar pelo purificador ficou transparente. [Nós colocamos uma batata em pedaços na água mineral testada. O tubérculo absorveu todo o cloro, deixando a água transparente. Imagine o quanto de cloro não ingerimos pelos alimentos...]

*O grande vilão é o plástico dos garrafões. Dados da Veja:

“Onde a água dura mais: em recipientes de vidro. Eles têm maior capacidade de vedação e conservam melhor o líquido (Prazo de validade: 1 ano).


Onde a água dura menos: nos galões de polipropileno retornáveis. A partir de setembro, todos os galões terão de conter, além da validade da água, informações sobre a data de fabricação da embalagem. Segundo a Anvisa, esses produtos têm vida útil de três anos. As constantes lavagens entre as recargas desgastam o plástico e prejudicam o sabor e a qualidade da água (Prazo de validade: 1 mês)”



Ainda há muita coisa, mas como disse o instrutor responsável pela instalação do purificador com quem falei, eu poderia passar o dia falando das desvantagens do garrafão e das qualidades do purificador.

Bom, indico em especial o purificador da marca que eu comprei: o Purific Ecológico.

Ele é transparente (para você ver o que está bebendo), o design é ótimo (não precisa de toalhinhas para cobrir/esconder ele na cozinha) e utiliza um sistema que imita a filtração natural da Terra.




Para maiores informações do produto, acesse: http://www.purific.com.br/


Que tal mudar o filtro?

Tijoleco

A construção sustentável é uma meta cada dia menos utópica. Reaproveitamento de materiais, novas técnicas de economia e consciência ecológica vêm se tornando mais recorrentes entre engenheiros e arquitetos. Um exemplo disso é o tijolo ecológico, carinhosamente chamado de tijoleco.



O "tijolo ecológico" é uma mistura de solo, água e uma pitada de cimento que depois de passar por uma prensa, seca por sete dias e está pronto para o uso. O legal é que ele é feito para funcionar num sistema de encaixe. Sem cimento, adiciona-se um rejunte depois.

Além de limpas, obras com tijolo ecológico reduzem o custo de:

*Cimento para reboco e assentamento
*Tinta
*Ferragens
*Areia
*Madeira para formas de colunas e vigas.





“O sistema de encaixe dos tijolos agiliza o trabalho e as paredes são levantadas em média 3 vezes mais rápidas que tijolos assentados com massa.” Vimaq Prensas.





As paredes de tijoleco formas dutos verticais que permitem a passagem de tubulações elétricas e hidráulicas e ajudam a economizar de 35 a 45% na construção.



Atualmente fala-se muito do “Bioblock”, um investimento da fabricante de autopeças, a GKN do Brasil. O “Bioblock” tem o mesmo nível de propriedades mecânicas e durabilidade do um tijolo comum, mas utiliza menos argila em sua composição, reduzindo assim o impacto ambiental provocado pela extração de argila, além de preservar este recurso natural não renovável.

"Ele agrega valor ao produto gerado e também garante que a reciclagem obedeça a princípios de desenvolvimento sustentável" Andrea Pampanelli, coordenadora da área ambiental da GKN do Brasil.



Útil,não? Então, que tal mudar o tijolo?

Ocorreu um erro neste gadget